• Flavia Pinheiro Zanotto

Meu artigo voltou sem revisão



8 motivos pelos quais seu artigo pode ser rejeitado


Esses 8 motivos pelos quais seu artigo pode ser rejeitado seriam, então, o que você NÃO DEVE FAZER ao submeter seu artigo. Esses pontos atrasam o processo com idas e vindas e podem atrapalhar o aceite em uma revista por motivos simples. Veja abaixo:


1 Falta de clareza do artigo


Todo artigo científico tem uma estrutura ou esqueleto a ser seguido e facilita a concisão, clareza e entendimento. A sua “história científica” tem um modo de ser escrita, muito diferente de uma história de ficção, por exemplo.

Portanto, sempre vale a pena pedir para um colega ou outras pessoas na área que leiam o artigo.

Um especialista em redação científica pode também ajudar imensamente.

Nosso lema na Escrever Ciência: um artigo com bons resultados, mas mal escrito, pode ser rejeitado por falta de clareza e os revisores não conseguem enxergar o mérito do trabalho. E um artigo com resultados pouco significativos, mas bem claro, pontual e bem estruturado pode valer uma boa publicação.

Não deixe isso acontecer com um artigo seu que já foi rejeitado e você sabe que ele tem resultados excelentes e você ainda não entendeu por que não foi aceito. Tente novamente...


2 O tema do artigo não está dentro do escopo da revista


Esse item é importante pois você pode perder tempo mandando para a revista errada. Leia atentamente qual o foco da revista e veja alguns artigos já publicados ali para que você tenha uma ideia do tipo de trabalho que a revista publica.


3 Não conformidade do artigo com o estilo, formato ou diretrizes da revista


Leia sempre o “instruction to authors” e vá assinalando cada item exigido para publicação e se você está seguindo tudo de maneira correta. Algumas revistas são tão exigentes nesses detalhes que devolvem seu artigo dizendo o que faltou de cada item que pediram.

Felizmente algumas revistas hoje aceitam submeter sem formatar primeiro e depois, se o artigo for aceito, procede-se para a formatação.

Seria excelente se todas as revistas fizessem assim...


4 Duplicação ou grande sobreposição com trabalho já publicado ou plágio aparente


Esteja sempre em dia com aquilo que é publicado em sua área. Algumas vezes existem trabalhos já publicados bem parecido com o seu ou muito próximo. Seria necessário observar o que você está mostrando de novo em sua pesquisa ou revisão em relação ao que já foi publicado. E chame a atenção para esse ponto. Sempre você pode pontuar alguma coisa nova em seu artigo em relação ao que já foi publicado.


5 Os resultados não são novos ou significativos o suficiente; eles levam a apenas um avanço incremental na sua área de estudo


De novo, se você somente relata um estudo utilizando uma espécie de planta ou animal diferente, ou usando células diferentes do que já está relatado na literatura, precisa mandar para uma revista de menor fator de impacto. O trabalho é valido, mas não entrará em uma revista de alto impacto. Revistas de alto impacto como Nature, Science, e etc, precisam de trabalhos mais disruptivos ou que relatam achados significativos.


6 O artigo é muito especializado/aprofundado em uma área específica


Nesse caso, mande para uma revista bem específica em sua área e este será lido por pessoas que trabalham somente naquela área.


7 Baixa qualidade da pesquisa


Pesquisa com metodologia mal-feita, desenho experimental com falhas ou análises estatísticas inapropriadas voltam. Às vezes o editor pede para ressubmeter com novos experimentos ou já rejeita de cara.

Planeje bem seus experimentos, número de amostras a coletar e veja um estatístico para fazer uma análise mais aprofundada.


8 Os resultados ou a interpretação são muito preliminares ou especulativos


Aquela parte da “Conclusão” do seu artigo precisa ser bem feita.


Tente sempre usar o termo “os resultados sugerem”, pois em ciência as descobertas estão sempre avançando e a verdade de um achado pode ser refutada a qualquer momento.


35 visualizações0 comentário