• Flavia P Zanotto

Falando de inteligência artificial no mundo científico (2)


Continuação do último blog (veja aqui se não leu anteriormente).

O que gera uma pesquisa bibliográfica bem feita?

Imaginem agora uma pesquisa bibliográfica que usa termos mais eficientes além de palavras-chave, faz a procura em mais de 40 milhões de artigos e que geram dessa procura uma figura (análise visual) como a representada acima, e que você poderia interagir e clicar na figura e achar as referências envolvidas em cada tema?

Uma pesquisa bibliográfica bem feita evita pesquisas redundantes e repetitivas, ajuda no desenvolvimento de boas hipóteses de pesquisa e facilita a interação multidisciplinar, aspectos que são fundamentais para uma ciência de boa qualidade. E interessante, em relação ao tipo de abordagem utilizada nas pesquisas bibliográficas, estas podem envolver o uso de palavras-chaves, similaridade de termos, o uso de textos inteiros, resumos ou rede de citações e não existe ainda um consenso sobre o melhor método a se usar para a enorme quantidade de literatura na área científica.

Até o momento, quatro conceitos são altamente importantes para os motores de busca na pesquisa bibliográfica: 1. personalização e especificidade para a área de estudo do pesquisador, 2. eficiência na busca, 3. rapidez e 4. atualização rápida dessa busca (Enago Academy, 2017). Além disso, esses motores de busca devem trazer informações de várias fontes para que os resultados sejam comparativos e multidisciplinares.

Pois já existem algumas ferramentas que geram resultados gráficos como a figura acima , por exemplo o Quertle, Sparrho e Unsilo (Springer Nature), dentre outros.

Continuaremos no proximo blog a falar de outras utilidades da Inteligência Artificial (IA) para o mundo científico!

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo